Fundação Bunge celebra o dia do cinema brasileiro com películas históricas - Releases - Sala de Imprensa - Fundação Bunge
Texto

Sala de Imprensa

Fundação Bunge celebra o dia do cinema brasileiro com películas históricas

Publicado em 14/06/17 às 14h15 envie a um amigoenvie para um amigo

Nesta semana, o cinema brasileiro celebra os 119 anos desde a exibição da primeira filmagem cinematográfica em terras brasileiras. Foi em 19 de junho de 1898 que o cinegrafista italiano Afonso Segreto registrou aquelas que seriam as primeiras imagens em movimento da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, quando estava a bordo do navio francês Brésil.

O mercado cinematográfico brasileiro acompanhou esse contexto através de suas lentes e foi se popularizando cada vez mais, acima de tudo, após o advento da televisão, nos anos 50. E esse movimento não foi exclusivo das artes. Ainda no século XX, muitas empresas vislumbraram o mercado cinematográfico como forma de se comunicar com o público e, para isso, produziram filmes institucionais exibindo o ambiente das fábricas e indústrias, bem como os métodos de produção.

Uma das empresas que investiu no mercado audiovisual foi a Bunge, companhia de agronegócio e alimentos, cujas obras cinematográficas se tornaram patrimônio da empresa e são mantidos hoje pelo Centro de Memória Bunge.

Os vídeos, produzidos pelo fotógrafo e cineasta parisiense radicado no Brasil, Jean Manzon, são exemplos de como as grandes companhias investiam na produção audiovisual a fim de se comunicar com os cidadãos modernos, cada vez mais ávidos por informação e conquistados pelas façanhas do audiovisual.

Na película “Algodão e Café do Brasil”, são retratadas as operações envolvidas na extração de algodão e café brasileiros para a exportação da Sanbra, maior exportadora do país no setor privado na época. Enfatizando o potencial da indústria brasileira, o filme não é uma propaganda dos produtos da exportadora, mas um registro para o expectador dos meios de obtenção de matérias-primas tipicamente brasileiras que eram exportadas na época.

Outra obra do autor disponível no acervo do Centro de Memória Bunge é a obra “Uma Canção Brasileira”, que retrata a produção de soja, algodão e café em uma vista aérea mostrando cenas da enriquecida paisagem brasileira com músicas de época de fundo.

Com uma narrativa explicativa e canções típicas brasileiras de fundo, essas produções exaltavam o potencial da indústria brasileira, que gerava produtos de alta qualidade, assim como o contexto nacional marcado pela presença das rodovias, meios de transporte (carros, navios, aviões e trens), infraestrutura aprimorada e diversidade de paisagens (indústria, campos, cidades).

Além de investir nas películas de cunho institucional, a Bunge inaugurou, em 1927, um cinema no Brasil. Naquela época, a empresa havia sido transferida a cede de Santos para o centro de São Paulo, onde decidiu diversificar as suas atividades par além das instalações de fábricas de tecidos de algodão, parafusos e pentes.

O Cine São Bento, localizado na rua que lhe deu o nome no centro da capital paulista, foi o exibidor oficial da Paramount e da rede Select Programa, por meio da Empresa Distribuidora Cinematográfica do Brasil. O Cine São Bento encerrou suas atividades definitivamente em 1950. 

 

Sobre o Centro de Memória Bunge

O Centro de Memória foi criado em 1994 pela Fundação Bunge e é, atualmente, um dos mais ricos acervos de memória empresarial do País que tem como objetivos a guarda e preservação de documentação histórica, a disseminação do conhecimento e a utilização de seu acervo pela Bunge como um instrumento estratégico de gestão.

Para facilitar o acesso ao público e compartilhar com a sociedade o aprendizado construído, o Centro de Memória Bunge disponibiliza seu acervo também com esses e outros vídeos na plataforma online (www.fundacaobunge.org.br/acervocmb/).

 

Sobre a Fundação Bunge

A Fundação Bunge, entidade social da Bunge Brasil, há mais 60 anos atua em diferentes frentes com o compromisso de valorizar pessoas e somar talentos para construir novos caminhos. Suas ações estabelecem uma relação entre passado, presente e futuro e são colocadas em práticas por meio da preservação da memória empresarial (Centro de Memória Bunge), do incentivo à leitura (Semear Leitores), do voluntariado corporativo (Comunidade Educativa), do desenvolvimento territorial sustentável (Comunidade Integrada) e do incentivo às ciências, letras e artes (Prêmio Fundação Bunge).

 

Informações à Imprensa

CDN Comunicação

Marleide – Marleide.rocha@cdn.com.br 

Erick Paytl – erick.paytl@cdn.com.br

Raquel Brito – raquel.brito@cdn.com.br

11 3643-2790 / 3643-2919 / 3643-2842

Fale com nossa assessoria

CDN Comunicação Corporativa

Fabio Souza - (11) - 3643-2813 - fabio.souza@cdn.com.br

Erick Paytl - (11) 3643-2919 - erick.paytl@cdn.com.br


Outros Releases

Prêmio Fundação Bunge 2018 anuncia contemplados - 29/08/18 Escritor indígena, adolescente de 14 anos que já publicou 4 livros e especialistas em física e engenharia agronômica são os homenageados da 63ª edição do Prêmio

Fundação Bunge leva Formação em Mediação de Leitura para Educadores de SP e MG - 29/08/18

Centro de Memória Bunge guarda acervo sobre o início da carreira do Rei Pelé no futebol - 29/08/18

Qual o papel dos imigrantes no desenvolvimento econômico, cultural e social dos países? - 29/08/18 Pesquisas mostram os pontos positivos da imigração e acervo do Centro de Memória Bunge ajuda a contar como os imigrantes contribuíram para a economia e cultura do Brasil.

Centro de Memória Bunge recupera áudios da década de 50 com as rainhas do rádio brasileiro: Dolores Durante, Dircinha Batista, Elizeth Cardoso e Linda - 29/08/18

Empresários e entidades de Rondonópolis se reúnem para discutir inserção de jovens e pessoas com deficiência no mercado de trabalho - 29/08/18

Indicação ao Prêmio Fundação Bunge vai até 30 de junho - 26/06/18 Tradicional prêmio vai homenagear profissionais das áreas de Ciências Agrárias e Letras e distribuir mais de R$ 400 mil em prêmios

Prêmio Fundação Bunge anuncia temas de 2018 - 17/04/18 Tradicional premiação irá homenagear profissionais das áreas de Ciências Agrárias e Letras