Garra e comprometimento é o que move a ação voluntária - Blog - Interatividade - Fundação Bunge
Texto

Interatividade

Blog da Fundação

Garra e comprometimento é o que move a ação voluntária


Publicado em 28/11/11 às 16h15 envie a um amigoenvie para um amigo

Historicamente, o voluntariado esteve vinculado ao assistencialismo, à filantropia e a um trabalho desenvolvido essencialmente pelas damas de caridade da sociedade.

Sofreu grande influencia religiosa, uma vez que a caridade é considerada como uma virtude. Nos últimos anos, esta atuação passou a ser vista como uma possibilidade de ação voltada para o bem estar comum, impulsionada por diferentes causas sociais.

No Brasil de hoje, o voluntariado vai muito além da compaixão e solidariedade. Ele se constitui numa grande força de mobilização social capaz de articular recurso e promover fortalecimento das organizações, tendo como base a inclusão social e uma maior equidade social.

Embora o voluntariado empresarial no país ainda tenha como foco atender às populações de risco, sua tendência é de um engajamento na promoção da ética e da cidadania. Há uma preocupação como temas ligados à educação, meio ambiente, saúde, cultura, defesa de direitos além da ética e responsabilidade social.

Com os desafios impostos com a recessão mundial, o voluntariado parece ter se fortalecido.

A questão da responsabilidade social se configura como uma tendência na evolução do voluntariado empresarial. A aceleração do processo de globalização exige uma atuação e envolvimento com a comunidade do entorno, que vai muito além do caráter econômico. O voluntariado é uma grande força de mobilização social e a tendência é de cada vez mais ampliar o impacto estratégico na comunidade pela sua capacidade de transformação da realidade social.

Neste dia 5 de dezembro, instituído pela ONU – Organização das Nações Unidas, como o Dia Internacional do Voluntário, faz jus ressaltar a importância que o voluntário assume com sua atuação, contribuindo, movido pelo seu entusiasmo e pela sua energia, com as suas habilidades e suas aptidões profissionais e pessoais para uma sociedade cada vez mais justa e igualitária.

Por Cecília Carvalho, coordenadora de projetos sociais da Fundação Bunge



ComentáriosComentar

Os comentários divulgados no site da Fundação Bunge são de responsabilidade dos usuários e não refletem os valores da Fundação Bunge.

Nenhum comentário encontrado

Envie seu comentário



Imagem de segurança



Perfil

No Blog da Fundação Bunge compartilhamos opiniões, experiências e ideias. Participe você também, expondo opiniões e alimentando ideias.

Os textos publicados no Blog da Fundação refletem a opinião de seus autores.

Arquivo